sexta-feira, 3 de julho de 2015

Pão integral perfeito - sem lactose

Está é a receita de pão integral favorita aqui de casa. Muito prática e deliciosa. Pessoalmente gosto de uma fatia quentinha e pura com uma xícara de chá de maçã huuum...

Pão integral perfeito e super fácil

3 xícaras de chá de farinha de trigo
2 xícaras de chá de farinha de trigo integral (ou mais se precisar)
2 colheres de sopa de semente de linhaça
2 colheres de sopa de aveia em flocos
2 colheres de sopa de gergelim
1 colher de sopa de semente de chia
2 xícaras de chá de água morna
5 colheres de sopa de azeite
1 colher de chá de sal
Junte todos ingredientes secos, ao centro adicione o óleo e a água aos poucos. Trabalhe a massa até ficar lisa e soltar das mãos. Deixe crescer por uma hora e leve assar a 180ºC por cerca de 50 minutos.


Se você quiser, também pode fazer uns riscos na massa antes de levar ao forno que ele ficará assim.


Veja também:

quinta-feira, 2 de julho de 2015

Granola caseira - receita básica

Pra quem como eu gosta de granola, mas não é chegado no sabor das granolas industrializadas. Trago uma receita bem simples, muito saborosa e, principalmente, sem excesso de açúcar.

Receita básica de granola

Receita básica:
2 xícaras de chá de aveia em flocos
3 colheres de sopa de azeite de oliva
1 pitada de sal
1/2 xícara de chá de gergelim
1/2 xícara de chá de semente de linhaça (pode ser dourada ou a que você preferir)
1/3 xícara de chá de melado, mel ou agave (ou o quanto baste para seu gosto de doce)
2 colheres de sopa de chia

Leve todos ingredientes ao forno pré-aquecido a 180ºC por cerca de 20 minutos, ou até que fiquem douradas a seu gosto.

Se for variar e acrescentar castanhas, uva passas, coco, chocolate em pó ou algum outro ingrediente, os adicione na metade do tempo de forno.

Pessoalmente gosto muito desta receita básica, ela é muito saborosa. Principalmente se as sementes ficarem bem tostadinhas (atenção: tostadas, não queimadas - cuidado com o forno).

Receita básica de granola + castanhas

sexta-feira, 5 de junho de 2015

Intolerância à Lactose e agora?

Descobri a pouco mais de um mês que desenvolvi Intolerância à lactose - IL. Algo que já estava convivendo a tempos, mas que sequer desconfiava estar acontecendo comigo, pois os sintomas se confundiam com outras coisas como: má digestão, gastrite ou até mesmo intoxicação alimentar.

Ao visitar meu gastro fizemos uma série de exames de rotina, entre eles o Teste de Tolerância a Lactose, que confirmou o diagnóstico.


Não pretendo ser uma neurótica que só vai falar sobre a IL, ou que viverá só pra isso. E muito menos pretendo seguir qualquer dieta da moda.

Como estou reaprendendo a me alimentar e conhecendo um universo totalmente novo: o das Alergias e Intolerâncias alimentares. Quero deixar aqui no blog um espaço para esse assunto, postarei mais receitas sem laticínios (ainda poderão aparecer receitas que contenham leite e seus derivados, considerando que não cozinho só pra mim). Mas também quero dividir minha nova rotina, as descobertas que tenho feito, os novos sabores que estou conhecendo e receitas novas que forem surgindo.

O que é Intolerância à lactose - IL?
É uma dificuldade parcial ou total do organismo de digerir/absorver o açúcar do leite (a lactose), pela falta ou ausência da enzima lactase. 

Desta forma a lactose não é transformada em outros tipos de açucares (processo que ocorre durante a digestão) e vai direto para o intestino grosso sem ser absorvida pelo organismo. Chegando lá, ela é fermentada por bactérias resultando nos típicos sintomas da IL: cólicas, gases, dor de cabeça, náusea, distensão abdominal, diarreia ou constipação. 



Qual a diferença entre Alergia e Intolerância?
Alergia é uma reação do sistema de defesa do organismo às proteínas, proteínas dos alimentos, de ácaros, de pelo de animais, etc. Portanto, a Alergia à proteína do leite de vaca - APLV é uma reação (do sistema imunológico) às proteínas do leite (ex: caseína, alfa-lactoalbumina, beta-lactoglobulina).
Enquanto que a Intolerância é a dificuldade do organismo em digerir à lactose, ou seja, açúcar do leite, devido à diminuição ou da ausência de lactase, enzima que a digere.


Se em tudo vai leite, vou comer o quê?
A maioria dos alimentos industrializados contém leite ou derivados, se não, eles têm pelo menos traços de lactose (quando usam os mesmo equipamentos para processar alimentos com e sem lactose, por exemplo). Para algumas pessoas a menor quantidade possível de leite ainda pode causar muitos desconfortos.

Por isso é importante estar sempre atento aos rótulos do que for comprar e seguir as recomendações do seu médico e nutricionista. E o mais importante de tudo, procurar ter uma alimentação o mais natural possível (tenho buscado refúgio e inspiração na culinária vegana).

Há também a preocupação da falta de cálcio. Culturalmente associamos o leite ao cálcio, mas ele pode ser encontrado em mais grupos de alimentos como:
  • Abobrinha, Agrião, Alfafa, Beterraba, Brócolis, Couve, Espinafre, Quiabo, Rabanete
  • Amêndoas, Feijão branco, Gema de ovo, Sementes de girassol, Tofu
  • Anchovas, Badejo, Corvina, Marisco, Merluza, Salmão, Sardinha
Pra não ficar se entupindo de Lactosil o melhor é reaprender a se alimentar, ler os rótulos e dar espaço para muitos alimentos que ignorávamos ou torcíamos o nariz pra eles. Fazer um acompanhamento nutricional personalizado, e, principalmente, conhecer os limites do nosso organismo.
Fontes:
www.alergiaaoleitedevaca.com.br
www.semlactose.com
www.lactosenao.com